PÁGINA INICIAL > IMPRENSA > NOTÍCIAS

PRODERJ é anfitrião de evento que reúne gestores das entidades estaduais de TIC do país


O Rio de Janeiro é sede de evento que reúne gestores das entidades estaduais de TIC de todo país. A 158ª Reunião Ordinária do Conselho das Associadas (ROCA) da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de TIC (ABEP-TIC), acontece até esta sexta-feira (27), na Barra da Tijuca. A abertura do encontro contou com a participação do presidente do PRODERJ e vice-presidente executivo da associação, Mauro Farias, do presidente da ABEP-TIC, Leandro Victorino e do presidente do Conselho da associação, Lutiano Silva.

 

“O PRODERJ se sente muito honrado por ser anfitrião de mais esse importante encontro. Gostaria de agradecer todo o apoio da ABEP-TIC e do presidente Leandro Victorino para realização do evento no Rio de Janeiro. Esse é um espaço fundamental para debates sobre diversos temas em voga na TIC pública como, por exemplo, transformação digital e segurança da informação. A autarquia está sempre atenta a todas as novidades”, destacou o presidente Mauro Farias.

 

Durante o evento, o vice-presidente de Estratégia, Governança e Inovação do PRODERJ, Bruno Cunha, e o vice-presidente de Governo Digital, Rodrigo Xavier, apresentaram o painel “Governo Digital do Estado do Rio de Janeiro - RJ Digital”. 

 

O Governo do Estado lançou, este mês, seu portal integrado de serviços digitais, primeira ação do Programa RJ Digital. O novo canal passou a oferecer mais de 1,3 mil serviços à população fluminense através do endereço https://www.rj.gov.br/. A iniciativa foi desenvolvida pelo PRODERJ em parceria com a Subsecretaria de Estado de Comunicação Social. Durante o painel, os gestores abordaram a estratégia de Governo Digital no Estado até 2023, as fases e principais ações para implantação do portal e os números alcançados.  

 

Já o diretor de Infraestrutura Tecnológica da autarquia, Daniel Luzente, abordou o tema “Nuvem Híbrida do Estado do Rio de Janeiro”. Em seu painel, foi apresentado como está sendo estruturada essa iniciativa e os principais ganhos para a administração pública como, por exemplo, maior disponibilidade e estabilidade dos serviços críticos.