SECRETARIA DE ESTADO DA CASA CIVIL E GOVERNANÇA
IMPRENSA
 
Voltar
Anterior
Próximo
11.08.2020 - 08:00 | Por Luiz Queiroz
TI
PRODERJ cria 480 contas de VPN e viabiliza trabalho remoto aos servidores do Estado

A pandemia do novo coronavírus mudou a rotina e a forma de trabalhar da maioria das pessoas, e não foi diferente para os servidores do Estado do Rio de Janeiro. O trabalho remoto ganhou força e a experiência tem sido bastante exitosa. Logo no início da quarentena, o presidente do PRODERJ, Mauro Farias, determinou que fosse disponibilizada, em caráter de urgência, uma infraestrutura de rede virtual (VPN) que atendesse às necessidades de trabalho remoto de diversas secretarias, órgãos e autarquias estaduais. Desde o dia 13 de março foram criadas 480 contas. A VPN garante a segurança das informações trafegadas pela internet e a continuidade da prestação de serviços públicos ao cidadão fluminense.

 

Só para a Secretaria de Estado da Casa Civil foram criadas 132 contas de VPN. “Quando ainda era Coordenador Setorial de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) da Secretaria de Estado da Casa Civil e Governança (SECCG), pude coordenar as ações de instalação e reparo das VPN’s disponibilizadas pelo PRODERJ, ferramenta essa que foi primordial para que o trabalho na SECCG pudesse ser realizado de forma a dar continuidade às tarefas diárias dos servidores que se encontravam em home office. Já tínhamos algumas contas de VPN, porém, com o início da quarentena, solicitamos mais 70 contas ao PRODERJ que nos atendeu com excelência, dando total apoio, tanto na instalação quanto na manutenção ao longo de todos esses meses. Só tenho a agradecer a dedicação e a parceria de toda a equipe do PRODERJ neste momento sensível que estamos atravessando, pois propiciou aos nossos servidores uma experiência muito positiva com o trabalho remoto”, explicou Fábio Queiroga, hoje exercendo a mesma função na Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (SEPLAG).

 

Com relação à Controladoria Geral do Estado do Rio de Janeiro (CGE RJ), foram criadas 122 contas de VPN e a experiência com o trabalho remoto também tem sido muito positiva.

 

“Nós começamos o processo de criação de contas um pouco antes da quarentena, no início de março. Já havíamos solicitado ao PRODERJ a criação de 10 contas para um serviço que seria feito de home office e depois, quando veio a confirmação de que teríamos que trabalhar de casa, pedimos mais 80 contas e o PRODERJ, de maneira muito rápida e eficiente, atendeu prontamente. Depois disso, as solicitações continuaram em função de algumas demandas, então eu tinha em média 10 solicitações de contas de VPN por semana, e o tempo de resposta do PRODERJ, olha que eu já conheço o PRODERJ há 20 anos, já trabalho com o Estado há muito tempo, foi muito rápido. Com relação às contas, quando tivemos algum problema de configuração, o PRODERJ prestou todo o suporte necessário aos usuários. A CGE RJ tem hoje mais de 60% dos funcionários com contas de VPN e aproximadamente 100 usuários assíduos, que ficam conectados cerca de 8 horas por dia, e em momento algum eles me relataram qualquer problema de inoperância. Com essa boa experiência da VPN, está sendo avaliado se a CGE irá retornar 100% ao trabalho presencial ou se irá adotar algum modelo híbrido entre os trabalhos presencial e remoto”, avaliou Claudio Andrade, Assessor de Informática e de Tecnologia da Informação da CGE RJ.

 

Outro órgão estadual que está bastante satisfeito com esse serviço prestado pelo PRODERJ é a Companhia Estadual de Habitação do Rio de Janeiro (CEHAB), onde foram criadas 38 contas.

 

“Com os trabalhos executados remotamente, não houve perda na performance. A adaptação dos funcionários foi perfeita. Acho que a VPN veio para ficar. Acreditamos que esse pode ser o modelo a ser seguido, economicamente todos ganham: empresa e funcionários. Não houve alterações em termos de produtividade”, afirmou José Vilela Corrêa, Coordenador de Informática da CEHAB. 

 

Corrêa fez questão de ressaltar ainda a qualidade do serviço e do suporte prestados pelo PRODERJ.

 

“Gostaria de enfatizar o trabalho e a parceria com o PRODERJ, que tem sido perfeito no suporte oferecido aos usuários. Tenho conversado com diversos colegas de diferentes órgãos e secretarias estaduais e o feedback tem sido o mesmo. Enfim, o trabalho que o PRODERJ vem desenvolvendo nessa área tem sido digno de elogios. Sempre que tem algum problema a gente entra em contato e imediatamente nos é oferecido o suporte adequado, evitando que os serviços sofram qualquer tipo de paralisação. Essa parceria está sendo muito produtiva e o PRODERJ está sendo nota 10”, destacou o Coordenador de Informática da CEHAB.

 

Nova realidade

 

Para o Gerente de Infraestrutura e Serviços do PRODERJ, Sérgio Castro, responsável por todo esse processo de criação de VPN’s, o trabalho remoto já é uma tendência mundial e o Estado precisa estar preparado para se adaptar a essa nova realidade.

 

“O trabalho remoto já faz parte da rotina nas empresas dos países desenvolvidos. Acho que devemos aproveitar este momento para adotar uma nova forma de trabalhar, seguindo a tendência mundial. Esse novo cenário irá trazer diversos benefícios para o Estado e para as pessoas. Com este modelo híbrido, com parte dos funcionários de home office e outra presencial, o Estado não precisa de grandes espaços corporativos, podendo economizar em aluguéis, consumo de luz, água, telefone etc. Em contrapartida, o funcionário economiza em transporte, alimentação e passa a ter mais tempo produtivo, uma vez que aproveita o tempo de deslocamento até o trabalho atendendo as demandas full time no horário comercial. Com isso, o Estado ganha de 2 a 3 horas por dia de trabalho de cada funcionário, aumentando muito a produtividade. Com certeza não retomaremos os padrões anteriores à pandemia, quando todos se deslocavam no mesmo horário, causando caos no trânsito, poluindo o ambiente, estressando as pessoas. Agora é hora de aprimorar este "novo mundo" com regulamentações e procedimentos bem definidos para que o processo seja homologado de forma correta e justa para ambas as partes: Estado e servidor”, previu Sérgio Castro.

 

Sistema híbrido de trabalho

 

Durante a quarentena, o Presidente do PRODERJ, Mauro Farias, participou de diversos encontros online com as equipes da autarquia e fez questão de perguntar a cada um dos servidores como estavam lidando com o home office, as dificuldades enfrentadas, como avaliavam sua produtividade, além da opinião sobre uma possível transição para um modelo híbrido de trabalho, com alguns dias no escritório e outros em casa.

 

O Presidente recebeu um feedback bastante positivo dos servidores, que, em sua maioria, relataram a manutenção ou até mesmo um aumento na eficiência e na produtividade com o trabalho remoto.

 

“É um bom momento para as Diretorias e Gerências pensarem nisso e começarem a se adaptar ao home office. A tendência aponta para um sistema híbrido, com parte do trabalho sendo realizado de forma remota. Precisamos revisar todos os nossos processos e identificar o que pode ser melhorado. Temos que pensar e projetar a construção de novos cenários. Novos tempos estão vindo e temos que nos adaptar para não ficarmos para trás. Estou à disposição dos servidores e acredito que o PRODERJ pode ser o pioneiro no Estado nesse processo de adaptação a um novo paradigma do mercado de trabalho”, ressaltou Mauro Farias.

Anterior
Próximo

Tecnologia PRODERJ - Todos os direitos reservados